segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Feliz Ano Novo!!!


Todo dia é ano novo
Entre a lua e as estrelas
num sorriso de criança
no canto dos passarinhos
num olhar, numa esperança...
Todo dia é ano novo
na harmonia das cores
na natureza esquecida
na fresca aragem da brisa
na própria essência da vida.
Todo dia é ano novo
no regato cristalino
pequeno servo do mar
nas ondas lavando as praias
na clara luz do luar...
Todo dia é ano novo
na escuridão do infinito
todo ponteado de estrelas
na amplidão do universo
no simples prazer de vê-las
nos segredos desta vida
no germinar da semente.
Todo dia é ano novo
nos movimentos da Terra
que gira incessantemente.
Todo dia é ano novo
no orvalho sobre a relva
na passarela que encanta
no cheiro que vem da terra
e no sol que se levanta.
Todo dia é ano novo
nas flores que desabrocham
perfumando a atmosfera
nas folhas novas que brotam
anunciando a primavera.
Você é capaz, é paz 
É esperança
Todo dia é ano novo
no colorido mais bel
odos olhos dos filhos seus...
Você é paz, é amora alegria de Deus.
Não há vida sem volta
e não há volta sem vida
no ciclo da natureza
neste ir e vir constante
No broto que se renova
na vida que segue adiante
em quem semeia bondade
em quem ajuda o irmão
colhendo felicidade
cumprindo a sua missão.
Todo dia é ano novo...portanto...feliz ano novo todo dia!

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Feliz Natal


Todos os dias temos provas da existência de Deus: a luz do sol, as flores no jardim...mas foi na noite de natal, anos atrás, que Ele se mostrou misericordioso conosco, colocando o Filho de Seu amor entre nós. Por isso espero que essa essência desta chama divina esteja sempre em seu coração e que ela traga um natal de paz e um ano novo de alegrias.
São os votos de todos que fazem parte da Paróquia Nossa Senhora dos Aflitos.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

XI CAPÍTULO PROVINCIAL

Começa hoje em Caruaru-PE o nosso XI Capítulo Provincial (assembleia geral). Nós que fazemos a Província Nossa Senhora da Penha do Nordeste do Brasil, pedimos as orações de todos em prol deste momento tão significativo para a nossa vida. De hoje até o dia 20 tomaremos algumas decisões importantes para a nossa caminhada e elegeremos o novo governo provincial. O Capítulo será presidido pelo definidor geral dos capuchinhos para o Brasil, Frei Sérgio Marcelo Dal Moro.
fonte: PRONEB

domingo, 16 de dezembro de 2012


NOTA DE AGRADECIMENTO
    Venho por meio deste agradecer a todos que colaborarão para que o JARDIM FÉ pudesse acontecer. Agradeço de coração a todos desde o menor para o maior.
    Agradeço também aos coordenadores e aos membros do grupo de jovens Nova Geração pelo bom êxito, não teria acontecido se vocês num tivesse se doado de coração.
   Não posso esquecer-me de agradecer ao comércio de nossa cidade pelas doações, que o Senhor os abençoe e dê tudo em dobro.
    Agradeço também a Banda Cavaleiros de Cristo, e as mulheres que se doaram para fazer as comidas. Também a banda E2 que fez a instalação do som, agradeço pelo trio elétrico , a rádio vale do piranhas FM pela divulgação.
   Por fim, agradeço a todos que participaram. O nosso verdadeiro sentido foi mostrar que podemos ser “santos sem deixar de ser jovens”, o nosso verdadeiro ideal é levar a boa nova para quem precisa e nós mostramos que somos capazes e temos responsabilidade.
  Que o Senhor nos faça discípulos entre todas as nações.
       Graça e Paz!
                         Fraternalmente: Marcelo Soares
“TUDO PODEMOS NAQUELE QUE NOS FORTALECE”

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Bispos africanos lançam apelo à comunidade internacional pela demarcação de fronteiras

Lodwa (RV) - Os bispos das dioceses das áreas de fronteiriças do Sudão do Sul, Quênia, Uganda e Etiópia, lançaram um apelo em favor da delimitação das fronteiras, com o objetivo de impedir conflitos e se chegar a uma convivência pacífica entre as comunidades limítrofes dos quatro países.

Segundo refere a “Sudan Catholic Radio Network”, o apelo foi lançado por ocasião de uma “Conferência inter-diocesana sobre a Paz e sobre a Evangelização Transfronteiriça” , realizada na diocese de Lodwa, no Quênia.

O Bispo de Lodwa, Dom Dominic Kimengich lançou o apelo à comunidade internacional para que contribuam com a demarcação das fronteiras, com o objetivo de prevenir as tensões e os confrontos entre as comunidades fronteiriças de pastores. Não são raros os ataques de bandos contra rebanhos nos lados das fronteiras, especialmente entre Quênia e Etiópia, o que acaba por provocar mortos e feridos.

O prelado também exortou os responsáveis pela Igreja em trabalhar na construção da paz através da reconciliação das populações a eles confiadas. Já o bispo de Torit, Dom Johnson Akio Mutek, sugeriu o envolvimento dos anciãos dos diversas grupos pastoris para resolver os problemas das fronteiras e diminuir as tensões existentes.

O encontro dos bispos dos 4 nações surgiu da exigência de se chegar a um denominador comum sobre o problema do triângulo de Ilemi, um território de 14.000 km2 entre o Sudão do Sul, o Quênia e a Etiópia. (JE)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=647417

Tweets do Papa conquistam a rede. Confira

Cidade do Vaticano (RV) – A primeira série de perguntas e respostas entre o Papa Bento XVI e seus seguidores no Tweeter, nesta quarta-feira, suscitou entusiasmo em meio aos usuários. Desde seu primeiro tweet, a conta de Bento XVI na rede social registrou mais um milhão de seguidores e neste momento conta mais de 33 mil em língua portuguesa.

Em sua primeira mensagem sobre a fé publicada no Twitter, Bento XVI convidou seus interlocutores a estarem mais atentos aos necessitados.

Nos últimos dez dias, Bento XVI recebeu diversas perguntas sobre a fé, enviadas ao ‘hashtag’ #askpontifex. Respondendo à questão ‘Como podemos viver melhor o Ano da Fé no nosso dia a dia?’, Bento XVI escreveu: “Dialoga com Jesus na oração, escuta Jesus que te fala no Evangelho, encontra Jesus que está presente nas pessoas que passam necessidade”.

Em outro ‘tweet’, o Papa diz: “A pessoa crente nunca está sozinha. Deus é a rocha segura sobre a qual construir a vida e o seu amor é sempre fiel” - escreveu o Papa em resposta à questão “Como viver a fé em Jesus Cristo num mundo sem esperança?”.

Bento XVI respondeu ainda a um seguidor que lhe pediu “sugestões para conseguir orar mais quando estamos tão ocupados com as solicitações de trabalho, da família e da sociedade”.

“Oferece tudo o que fazes ao Senhor, pede a sua ajuda em todas as circunstâncias da vida e lembra-te de que Ele está sempre ao teu lado” - escreveu.

Os breves textos, de no máximo 140 caracteres, são publicados em inglês, espanhol, italiano, alemão, polonês, árabe, francês e português.

Inicialmente, os ‘tweets’ são lançados às quartas-feiras, dia da audiência semanal, mas com o passar do tempo serão mais frequentes.
(CM)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=647141

sábado, 8 de dezembro de 2012

17ª Assembleia Nacional da Infância e Adolescência Missionária

Brasília (RV) - Teve início nesta quinta-feira, a 17ª Assembleia Nacional da Infância e Adolescência Missionária (IAM). Trata-se do momento que os coordenadores estaduais da Obra se encontram para avaliar as atividades realizadas durante o ano e planejar os trabalhos e ações de 2013. Dois eventos significativos norteiam a Assembleia deste ano: os 170 anos de fundação da Infância e Adolescência Missionária no mundo (1843-2013), e a Jornada Nacional da Obra que terá início na abertura das celebrações dos 170, em maio do próximo ano, e deverá integrar o calendário de atividades da IAM no Brasil, conforme explica o Secretário nacional da Obra, Padre André Luiz de Negreiros. “Vamos celebrar os 170 anos da IAM. Para isso já pensamos uma série de atividades e materiais. 

A abertura das celebrações acontecerá com a Jornada Nacional da Infância no último domingo de maio de 2013 e a partir daí todos os anos celebraremos esse evento”, disse o secretário. De acordo com Padre André, a celebração dos 170 anos da IAM será realizada de maneira descentralizada, ou seja, pelos grupos espalhados por todo o Brasil. Os materiais e subsídios de apoio como cartaz, logomarca, tema e lema, roteiros de celebração e, o lenço e escudo (símbolos da Obra) começarão a ser enviados assim que alguns detalhes forem definidos na Assembleia Nacional. 

A proposta das Pontifícias Obras Missionárias é que os regionais façam, durante a celebração do Ano da IAM, minicongressos diocesanos ou com o agrupamento de dioceses vizinhas. A Jornada, por sua vez, o segundo ponto de destaque nesta edição da Assembleia Nacional da IAM, terá o objetivo de consagrar as crianças de todo o Brasil aos cinco continentes. “No próximo ano as consagraremos ao continente americano e, nesta Assembleia Nacional da IAM, nós escolhemos o tema e o lema e o continente que será consagrado no ano seguinte”, explicou padre André. O Congresso Americano da IAM que acontecerá em 2014, em Aparecida (SP), evento para assessores da IAM, será o desfecho das celebrações dos 170 anos da Obra. (SP)
fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=645444

Bento XVI: Apelo em favor das Filipinas

Cidade do Vaticano (RV) - Depois da oração mariana do Angelus, o Papa saudou em várias línguas os fiéis presentes na Praça São Pedro.

Bento XVI fez o seguinte apelo: "Desejo assegurar a minha proximidade às populações das Filipinas atingidas nos últimos dias por um violento furacão. Rezo pelas vítimas, por suas famílias e pelos muitos deslocados. A fé e amor fraterno sejam a força para enfrentar essa difícil situação."

O Santo Padre saudou os membros da Ação Católica Italiana que hoje renovam sua adesão e decisão de responder ao chamado à santidade e corresponsabilidade com os Pastores na Nova Evangelização. 

O Papa saudou também os membros do Movimento dos Trabalhadores Cristãos e o grupo de oração do Instituto Dermatológico da Imaculada, em Roma, e auspiciou que possam ser solucionados os problemas que várias instituições católicas enfrentam no campo da saúde. (MJ)
http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=645867

Bento XVI na Praça de Espanha: "Maria nos ensina a ouvir a voz de Deus que fala no silêncio"

Roma (RV) - Bento XVI conduziu, na tarde deste sábado, o ato de veneração à Virgem Maria, na Praça de Espanha, em Roma, na Solenidade da Imaculada Conceição.

O Papa manifestou sua alegria de se reunir com os romanos, peregrinos e visitantes aos pés da imagem da Virgem, "que nos une na fé, neste Ano da Fé vivido por toda a Igreja" – destacou o pontífice.

Detendo-se sobre o Evangelho da Anunciação, o Papa frisou que "o encontro entre o mensageiro divino e a Virgem Imaculada passa completamente despercebido: ninguém sabe, ninguém fala sobre isso. É um evento que, se acontecesse em nossa época, não deixaria traços nos jornais e revistas, é um mistério que se realiza em silêncio. O que é realmente grande passa muitas vezes despercebido e o silêncio se revela mais fecundo que a frenética agitação de nossas cidades, mas que - com as devidas proporções – se vivia também nas cidades importantes como a Jerusalém daquela época".

Bento XVI frisou que muitas vezes "a vida frenética torna-nos incapazes de parar e ouvir o silêncio em que o Senhor faz ouvir sua voz discreta. Maria, no dia em que recebeu o anúncio do Anjo, estava aberta para a escuta de Deus. Nela não há obstáculo, não existe nada que a separe de Deus. Este é o significado do seu ser sem pecado original: seu relacionamento com Deus é livre de falha, não há separação, não há sombra de egoísmo, mas uma perfeita harmonia: o seu pequeno coração humano está perfeitamente centralizado no coração de Deus".

"Vir ao centro de Roma, onde se encontra a imagem de Maria, nos recorda primeiramente que a voz de Deus não se reconhece no barulho e na agitação. O seu projeto em nossa vida pessoal e social não pode ser percebido restando na superfície, mas indo a um nível mais profundo, onde as forças que agem não são econômicas ou políticas, mas morais e espirituais. É ali que Maria nos convida a ir e a nos sintonizar com a ação de Deus" – sublinhou ainda Bento XVI.

O Papa recordou que "a salvação do mundo não é obra do ser humano, da ciência, da técnica, da ideologia, mas vem da Graça, que significa Amor em sua pureza e beleza, é Deus como é revelado na história da salvação narrada na Bíblia e realizada em Jesus Cristo".

Maria é chamada a cheia de graça e com esta sua identidade nos recorda a primazia de Deus em nossa vida e na história do mundo, nos lembra que o poder do amor de Deus é mais forte que o mal e preenche as lacunas que o egoísmo provoca na história das pessoas, das famílias, das nações e do mundo.

Maria Imaculada nos fala da verdadeira alegria que se difunde no coração liberto do pecado. "O pecado traz consigo uma tristeza negativa, que induz a se fechar em si mesmo. A Graça traz a verdadeira alegria que não depende da posse de coisas, mas está enraizada no íntimo da pessoa" – disse ainda o Santo Padre.

O Papa concluiu destacando que "neste tempo de Advento, Maria Imaculada nos ensina a ouvir a voz de Deus que fala no silêncio, a acolher a sua Graça que nos liberta do pecado e do egoísmo, para saborear a verdadeira alegria". (MJ)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=645867

Reflexão para a Solenidade da Imaculada Conceição

Cidade do Vaticano (RV) - Deus fez o homem á sua imagem e semelhança e quis torná-lo seu interlocutor, apesar de não precisar dele. Contudo o homem, não se reconheceu criatura e se ensoberbou diante dele, querendo ser igual ao Criador. Isso desestabilizou o próprio homem trazendo-lhe profundas frustrações e tornando vazio o seu coração. Não aceitando ser criatura, rompeu, de sua parte, os laços afetivos para com o Pai e para com os demais, sejam seres humanos ou quaisquer outras criaturas.

Mas Deus, que é o Pai, nesse exato momento disse que as coisas não ficariam assim, que Ele iria refazer sua criação e com isso já temos no Gênesis 3, 15 a promessa do Messias, nascido de Mulher, no trecho chamado de Proto-evangelho, isto é, a primeira boa notícia.
Na segunda leitura, extraída da Carta aos Efésios, São Paulo dá um passo avante no que ouvimos durante a leitura do Gênesis. Deus nos dá, em Jesus Cristo, um “upgrade”, pois nele somos adotados como seus filhos. Deus não volta atrás. Ele nos criou para sermos seus filhos, para dialogarmos sempre com Ele. Mesmo com o pecado, Sua força é maior, seu projeto é para sempre, sua misericórdia é eterna!

No Evangelho, o Sim de Maria à proposta de Deus, dá à Humanidade a riqueza do amor de predileção. Esse amor se torna pleno. Maria é a nova criatura, aquela que não rivaliza com Deus, mas se coloca como a humilde serva, a colaboradora, a que se sentiu profundamente amada e por isso quer colaborar, não como retribuição, mas como gesto natural, conseqüência.
Imaculada Conceição, concebida livremente, sem a possibilidade de amarras, de limites, incondicionalmente.

Maria é a primícia da Igreja, o modelo do cristão, da Humanidade Redimida, concebida desde o início no coração de Deus, nascida de seu lado aberto na cruz, banhada em seu sangue.
Que nosso modo de ser transpareça nossa filiação divina, dentro da escola de Maria!
(CAS) 

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=645789

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Anglicanos nomeiam novo representante junto à Santa Sé

Cidade do Vaticano (RV) – O Arcebispo de Nova Zelândia, David Moxon, é o novo representante da Comunhão Anglicana junto à Santa Sé e diretor do Centro anglicano de Roma. A nomeação foi feita pelo atual Primaz anglicano, Rowan Williams.

David Moxon substitui o reverendo David Richardson, que deixará o cargo na Páscoa. O papel de representante junto à Santa Sé – lê-se num comunicado - ''implica a tarefa de manter relações com o Vaticano e com o Papa em nome do Arcebispo de Cantuária e da Comunhão Anglicana, enquanto o Centro Anglicano é como uma embaixada em Roma, que promove a unidade dos cristãos através da hospitalidade, da oração e da educação''.

''Existem poucas pessoas na Comunhão assim tão bem qualificadas para este trabalho como David Moxon”, disse por sua vez Rowan Williams, e ''o Arcebispo desempenhou um grande serviço no diálogo anglicano-católico seja em nível local, seja em nível global''.

Já o Arcebispo Moxon recebeu esta notícia definindo-a “uma oportunidade para empenhar-se num diálogo honesto” entre as duas confissões.

(BF)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=645321

Audiência: no Advento, ser sinal da ação de Deus no mundo

Cidade do Vaticano (RV) – Como viver o tempo do Advento neste Ano da Fé: este foi o tema da catequese que Bento XVI propôs na Audiência Geral desta quarta-feira, na Sala Paulo VI.

A ação de graças que o Apóstolo Paulo dá a Deus, na Carta aos Efésios, nos introduz a viver o tempo do Advento. O tema deste hino de louvor é o desígnio de Deus para o homem, definido com termos repletos de alegria, de estupor e de agradecimento.

O Apóstolo agradece a Deus porque vê Sua obra na história da salvação, cujo ápice foi a encarnação, a morte e a ressurreição de Jesus, e compreende como o Pai nos escolheu antes da criação do mundo para sermos seus filhos adotivos, em seu Filho Unigênito, Jesus Cristo. O “plano de amor” é definido como “o mistério” da vontade divina, escondido e manifestado em Cristo.

“Queridos amigos, o Advento, o tempo litúrgico que acabamos de iniciar e que nos prepara para o Santo Natal, nos coloca diante do luminoso mistério da vinda do Filho de Deus, ao grande “desígnio de benevolência” com o qual Ele quer nos atrair, para que vivamos em plena comunhão de alegria e de paz com Ele. O Advento nos convida mais uma vez, em meio a tantas dificuldades, a renovar a certeza de que Deus está presente: Ele entrou no mundo, fazendo-se homem como nós, para realizar o seu plano de amor. E Deus pede que também nós nos tornemos sinal de sua ação no mundo. Através da nossa fé, da nossa esperança, da nossa caridade, Ele quer sempre fazer resplender a Sua luz na noite.

Depois da sua catequese em italiano, Bento XVI fez um resumo em várias línguas. Em português, disse:

Queridos irmãos e irmãs, o tempo litúrgico do Advento prepara-nos para acolher e aderir ao grande desígnio de benevolência de Deus, que o Natal de seu Filho, feito homem como nós, coloca diante dos nossos olhos. Tal desígnio não ficou oculto no alto dos Céus, mas Deus, na riqueza do seu amor, fala aos homens como amigos e convive com eles, para os convidar e admitir à comunhão com Ele, em Cristo por obra do Espírito Santo. Esta comunhão é a realização daquele desejo infinito de plenitude que habita no íntimo do ser humano e o abre para a felicidade eterna. Entretanto, a nossa mente não consegue abarcar completamente este desígnio de benevolência divina, mas pode apenas recebê-lo e acolhê-lo na fé. O ato de fé é a resposta do homem à revelação que Deus Se dignou fazer-lhe, acolhendo na vida o benevolente desígnio que Ele tem para a humanidade e a criação inteira: recapitular tudo em Cristo, reunindo n’Ele o que há no céu e na terra. Amados peregrinos de língua portuguesa, cordiais saudações para todos vós, de modo especial para os fiéis cristãos de Goiânia, invocando sobre os vossos passos a graça do encontro com Deus: Jesus Cristo é a Tenda divina no meio de nós. Ide até Ele, vivei na sua graça e tereis a vida eterna. Sobre vós e vossas famílias desça a minha Bênção”.

(BF)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=644788

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Seca, evangelização e Campanha da Fraternidade na pauta do Consep

Brasília (RV) - Durante os dias 27 e 28 de novembro, os bispos membros do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, estiveram reunidos, na sede da instituição, em Brasília (DF). O balanço das atividades da reunião foi apresentado em entrevista coletiva, realizada na manhã do dia 28 de novembro. Participaram da coletiva o presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno; o vice-presidente, Dom José Belisário e o Secretário-Geral, Dom Leonardo Steiner.

Dom Damasceno apresentou uma breve síntese do que foi abordado durante o Consep. Um dos temas tratados foi a preparação da Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, que acontecerá em Aparecida (SP), em 2013. A novidade para a próxima Assembleia é que todos os bispos ficarão hospedados em apenas dois hotéis, na cidade do Romeiro, o que de acordo com o presidente, “propiciará uma melhor convivência entre os bispos”.

Durante a coletiva, a Presidência da CNBB apresentou uma nota sobre a seca em várias regiões do Nordeste. O texto expressa a solidariedade a toda população que sofre com a intempérie, e que a situação “exige a soma de esforços e de iniciativas de todos: Governo, Igrejas, empresários, Sociedade Civil Organizada – para garantir às famílias a superação de tamanha adversidade”.

Também foram abordadas na coletiva questões referentes à Campanha da Evangelização, iniciada dia 25 de novembro, cujo objetivo é arrecadar fundos para as atividades da Igreja no Brasil. Com o slogan ‘Evangeli.Já’ – neologismo derivado da palavra evangelizar –, a iniciativa demonstra a urgência da evangelização e da cooperação de todos neste processo.

O Cardeal Raymundo Damasceno também afirmou que já teve início a preparação de um Texto Base para a Campanha da Fraternidade de 2014, que tem como tema "Fraternidade e Tráfico Humano". Na oportunidade, foi lançado um livro "Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo", pelo Setor Mobilidade Humana da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, da Justiça e da Paz, que servirá de subsídio para assuntos relacionados a tráfico de seres humanos e trabalho escravo.
(CM-cnbb)

Papa: "Deus não é uma inteligência matemática; é uma realidade em nossa vida"

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta chuvosa quarta-feira de outono, o encontro semanal do Pontífice com os fiéis se realizou na Sala Paulo VI, no Vaticano. Como é tradição, o Papa leu a sua reflexão em italiano, e na sequência, resumiu o texto em várias línguas. Prosseguindo a série sobre o Ano da Fé, a questão principal da audiência foi “Como falar de Deus no mundo de hoje?”. 

"Deus não é uma hipótese distante sobre a origem do mundo; não é uma inteligência matemática que está longe de nós. O amor de Deus por nós é infinito e eterno, e a fé cristã é uma resposta aos anseios mais profundos do coração humano” – começou Bento XVI. "Comunicar Jesus Cristo aos homens e mulheres do nosso tempo significa dar testemunho silencioso e humilde do núcleo da mensagem do Evangelho". 

O Papa sugeriu imitar o modo de agir de Deus, mas ressalvou que “falar de Deus requer um crescimento na fé, familiaridade com Jesus e seu Evangelho; uma vida de fé e caridade”. “A família é um lugar privilegiado para a transmissão da fé às novas gerações. Em clima de escuta e de diálogo, cada membro deve ser para o outro um sinal do amor de Deus. Falar de Deus é comunicar-se com alegria, força e simplicidade” – lembrou. 

Assim, em nossas vidas, com nossas famílias, com nossos filhos, poderemos manifestar este mesmo amor de Cristo, estando atentos a todas as necessidades, aos anseios mais profundos, para poder dar uma resposta de esperança à humanidade”. 

Em português, o Papa usou as seguintes palavras:

O anúncio que leva ao encontro com Deus-Amor, revelado de modo único em Jesus crucificado, é destinado a todos: não há salvação fora de Jesus Cristo. Como podemos falar de Deus hoje? O Ano da Fé é ocasião de buscar novos caminhos, sob a inspiração do Espírito Santo, para transmitir a Boa Nova da salvação. Neste sentido, o primeiro passo é procurar crescer na fé, na familiaridade com Jesus e com o seu Evangelho, aprendendo da forma como Deus se comunica ao longo da história humana, sobretudo com a Encarnação: através da simplicidade. É necessário retornar ao aspecto essencial do anúncio, olhando para o exemplo de Jesus. N’Ele, o anúncio e a vida se entrelaçam: Jesus atua e ensina, partindo sempre da sua relação íntima com Deus Pai. De fato, comunicar a fé não significa levar a si mesmo aos demais, mas transmitir publicamente a experiência do encontro com Cristo, a começar pela própria família. Esta é um lugar privilegiado para falar de Deus, onde se deve procurar fazer entender que a fé não é um peso, mas uma profunda alegria que transforma a vida.

Uma saudação cordial a todos os peregrinos de língua portuguesa, com votos de serem por todo o lado zelosos mensageiros e testemunhas da fé que vieram afirmar e consolidar neste encontro com o Sucessor de Pedro. Que Deus vos abençoe! Obrigado!”.
(CM)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Advento

Uberaba (RV) - * A vida passa por transformações e se renova. Por isto, iniciamos mais um Ano Litúrgico, começando com o Ciclo do Natal, na certeza de vida renovada. O Natal é celebrado com muitas festas, contemplando o nascimento de um Rei, o Filho de Deus, cumprindo uma promessa feita pelo Senhor ao Rei Davi.
São quatro domingos chamados de “Advento”, que nos despertam, dentro de um itinerário, para a vinda de Jesus Cristo, Àquele que vem de Deus e assume as condições e realidades humanas. Seu objetivo foi de realizar a reta ordem do universo no cumprimento das Leis divinas marcadas no coração das pessoas.
No mundo dos conflitos, da violência e do caos na ordem social, caímos numa situação de temor e angústia. Nossa esperança fica fragilizada e somos incapazes para uma paz de sustentabilidade. Somente em Jesus Cristo podemos encontrar força e coragem para superar as limitações contidas em nossas fraquezas.
O Advento é tempo de preparação para o Natal. É colocar-se de prontidão para acolher Aquele que nasce transformando a história. Hoje isto acontece no coração das pessoas vigilantes e sensíveis às realidades do bem. Este deve ser o caminho do cristão, reconhecendo a presença de Deus em sua vida.
Todo clima natalino, que começa com o Advento, deve fazer aumentar o amor entre as pessoas. É uma realidade que deve acontecer no relacionamento, na convivência familiar, no trabalho, na escola, enfim, na vida real. É importante a consciência de que a fonte de tudo isto está em Deus. É por isto que Ele vem a nós e fica conosco. “O amor de Deus foi derramado em nossos corações” (I Ts 4,9).
Sabemos que a fonte do amor é Deus, mas isto não dispensa o esforço pessoal. Temos que viver o amor no meio dos conflitos e tensões a todo instante. Os afazeres da vida não podem obscurecer a ação de Deus em nossa prática de vida. É Ele quem nos dá sustentação para uma realidade de fraternidade e vida mais feliz.
Dom Paulo Mendes Peixoto
Arcebispo de Uberaba.
(CAS)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=642124

Pax Christi promove solidariedade ao povo palestino

Pádua (RV) - Sábado, 1º de dezembro, as Nações Unidas recordam o Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino. Naquela data, a organização Pax Christi e a Campanha ‘Pontes e não muros’ realizam um congresso em Pádua, norte da Itália, para lembrar que “trégua não é paz”. 

A frágil trégua na Faixa de Gaza e o consequente rastro de tensão e morte nos territórios ocupados e em Israel, carregam este evento de expectativas. Centenas de pessoas já estão inscritas. 

Alguns relatores provêm do sul de Israel, outros da Cisjordânia: especialistas e testemunhas do território ocupado vão informar a diretamente a opinião pública a respeito da situação. No próximo dia 29 de novembro, a Assembleia das Nações Unidas poderá acolher o pedido de reconhecimento da Palestina na comunidade das nações. 

“Será dado espaço especial a testemunhos daqueles que defendem os direitos violados de milhares de prisioneiros políticos palestinos que permanecem sem voz e invocam justiça” – afirma o comunicado da Pax Christi. 

Pax Christi è um movimento católico internacional pela paz nascido na França em 1945.
(CM)

São Paulo acolhe Seminário de Jovens Comunicadores

idade do Vaticano (RV) - A Arquidiocese de São Paulo promove de 30 deste mês a 2 de dezembro próximo, na Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM), o Seminário de Jovens Comunicadores sobre o tema "Nova Evangelização em tempos de rede".

O evento se realiza no contexto de preparação para a Jornada Mundial da Juventude Rio2013 e contará com o apoio do assessor do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais, Pe. Antonio Spadaro.

Mariangela Jaguraba conversou com o Secretário de Comunicação da Arquidiocese de São Paulo, Rafael Alberto, que nos fala sobre a finalidade desse seminário. (MJ)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=642638

Roma acolhe encontro internacional sobre Missão, Igreja e Teologia

Roma (RV) - Realiza-se na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma, de 28 a 30 deste mês, o encontro internacional sobre "Missão, Igreja e Teologia há 50 anos do Concílio Vaticano II".

O evento é promovido pela Faculdade de Missiologia a fim de celebrar os 80 anos de fundação dessa instituição e os 50 anos de abertura do Concílio Vaticano II.

Uma atenção especial será dedicada à gênese e fisionomia da disciplina missiológica e também aos fatos e motivos de natureza eclesiológica que levaram a Companhia de Jesus a fundar na Gregoriana esta faculdade num período de grande fervor teológico e missionário.

Será também abordado o tema da virada teológica feita pelo Concílio Vaticano II em prol de uma renovada compreensão da missão e da apostolicidade da Igreja. A segunda sessão se abrirá com uma reflexão sobre a atualidade do primeiro capítulo do Decreto ad gentes. Depois o que significa Nova Evangelização e como ela é feita.

A esse propósito, na missa de encerramento do Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização realizado, no Vaticano, em outubro passado, Bento XVI destacou que "A nova evangelização está essencialmente ligada à missão ad gentes. A Igreja tem o dever de evangelizar, anunciar a mensagem da salvação aos homens que ainda não conhecem Jesus Cristo.

Por isso, é preciso pedir ao Espírito Santo que suscite na Igreja um renovado dinamismo missionário, cujos protagonistas sejam, de modo especial, os agentes pastorais e os fiéis leigos. A globalização provocou um notável deslocamento de populações, pelo que se impõe a necessidade do primeiro anúncio também nos países de antiga evangelização". (MJ)

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=642298

Patriarca Rai: cardinalato é um incentivo para lutar pela paz

idade do Vaticano (RV) – O Patriarca libanês Béchara Boutros Raï considera a sua criação como cardeal da Igreja Católica, realizada no último sábado por Bento XVI, como um grande incentivo para lutar pela paz e pela fé cristã no seu país. Em entrevista publicada pelo serviço informativo da Santa Sé, o responsável pela comunidade de Antioquia dos maronitas manifesta ao Papa a sua "alegria e gratidão" e mostra-se empenhado em dar um novo “alento” a um povo que vive um “momento muito crítico” da sua história, motivado pela guerra civil na vizinha Síria.

O novo cardeal libanês, de 72 anos, quer "fazer crescer a sua comunidade eclesial na comunhão e no testemunho", para evitar que "questões políticas" possam ameaçar a "boa convivência" das camadas muçulmana e cristã. "A crise política gerou um grande problema econômico e social, pelo que é preciso olhar para a frente, recrear, reconstruir a unidade interna, apoiar os nossos irmãos cristãos do Médio Oriente, desenvolver laços com os muçulmanos que aliviem a tensão causada pelos radicais e fundamentalistas", aponta.

Para Dom Béchara Boutros Raï, a mudança mais importante para o Líbano não é a construção de um Estado não confessional, que não contemple a religião, é a renovação de uma "política regional" que, de acordo com o patriarca maronita, é marcadamente “islamica” e contribui para "a divisão" da sociedade libanesa. "O grande problema aqui e para o Médio Oriente, é o conflito entre sunitas e xiitas em âmbito regional, que depois tem repercussões no plano internacional", conclui.

fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=642102

Papa reitera: "Paz é efetiva somente quando baseada no respeito"

Cidade do Vaticano (RV) – Na esteira do Consistório presidido sábado, 24, Bento XVI reviveu esta manhã no Vaticano aquela “circunstância solene e importante” com os parentes, amigos e acompanhadores dos seis novos cardeais por ele criados. O encontro foi na Sala Paulo VI, e o Papa fez um breve discurso falando em italiano, inglês, francês e espanhol.

O Colégio de Cardeais, além de eleger o Sucessor de Pedro, tem como tarefa assistir o Papa em assuntos de grande importância. Em seus ofícios na Cúria Romana ou em seu ministério nas Igrejas locais pelo mundo afora, os cardeais são chamados de modo especial à solicitude com a Igreja universal” – lembrou o Pontífice. Aos purpurados, Bento XVI disse que “a cor viva de suas vestes é vista como um sinal de seu compromisso de defender o rebanho de Cristo até o derramamento de seu sangue”.

Em francês, o Papa dirigiu-se especialmente aos libaneses, recordando a visita apostólica de setembro passado, quando assinou a Exortação Apostólica pós-sinodal Ecclesia in Medio Oriente. Um dos novos cardeais criados no Consistório foi o Patriarca maronita Boutros Bechara Rai, e Bento XVI explicou que com isso, quis encorajar o caminho e a presença dos cristãos no Oriente Médio - onde devem viver livremente sua fé - e lançar mais um apelo pela paz naquela região.

A Igreja encoraja todo esforço finalizado à paz no mundo e no Oriente Médio, e tal paz não pode ser efetiva se não se basear no respeito autêntico e recíproco” – frisou o Pontífice, auspiciando que “o tempo do Advento nos faça redescobrir a grandeza de Cristo, verdadeiro homem e verdadeiro Deus que veio ao mundo para salvar todos os homens, trazendo paz e reconciliação”.

Em seguida foi a vez da saudação em espanhol, endereçada ao arcebispo de Bogotá, Cardeal Rubén Salazar Gómez, e a todos os que o acompanham: familiares, bispos, sacerdotes, religiosos e leigos. O Pontífice convidou todos a elevar orações pelo novo purpurado, a fim de que esteja sempre mais unido ao Sucessor de Pedro e colabore incansavelmente com a Sé Apostólica. Ao mesmo tempo, pediu as bênçãos de Nossa Senhora do Rosário de Chiquinquirá para todos os queridos filhos e filhas da Colômbia, “para que avancem na paz e na concórdia pelos caminhos da justiça, da reconciliação e da solidariedade”.

Finalizando, exortou todos a prosseguirem confiantes em sua missão espiritual e apostólica, enriquecida pelo novo empenho do cardinalato; e a reforçar seu amor pela Igreja: “Amor que podemos aprender dos Santos, que são sua realização mais completa”.
(CM)

Fonte:http://pt.radiovaticana.va/bra/Articolo.asp?c=642102

UMA IMAGEM PRA REFLETIR


terça-feira, 20 de novembro de 2012

I Encontro de Integração com os Jovens Referenciais

Em preparação ao I Encontro de Integração com os Jovens Referenciais das Paróquias, Novas Comunidades, Associações e Serviços, Movimentos e Pastorais, a Equipe de Coordenação dos Trabalhos reúne-se na Cúria Metropolitana, em João Pessoa.
Em pauta, além do I Encontro, a elaboração de um plano de ação e metas para serem atingidas ao longo dos próximos meses.
A equipe está esperançosa e entusiasmada em vista da JMJ e SM, bem como da elaboração do Plano de Evangelização das Juventudes e reorganização do Setor de Juventude da Arquidiocese da Paraíba.
O I Encontro com os Referenciais será nos dias 23 e 24 de novembro. Começo no dia 23 a partir das 18h com credenciamento seguido de jantar.
O evento está sendo organizado pelo Setor de Juventude e pela Coordenação de Pastoral da Arquidiocese da Paraíba.
Fonte: Pascom da Arquidiocese da Paraíba

Consciência Negra: reflexão sobre a identidade nacional

O dia 20 de novembro, por meio da lei 10.639/2003, é o dia nacional da Consciência Negra. A escolha desta data é uma referência ao líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, morto nesta data no ano de 1695. “A homenagem a Zumbi foi mais do que justa, pois este personagem histórico representou a luta do negro contra a escravidão no período do Brasil Colonial”, avalia o coordenador nacional da Pastoral Afro-Brasileira, Pe. Jurandyr Azevedo de Araújo.
“Ele foi morto defendendo seu povo e sua comunidade. Os quilombos representavam uma resistência ao sistema escravista e também um forma coletiva de manutenção da cultura africana aqui no Brasil”, afirma Pe. Jurandyr. Zumbi recebeu, em 1996 o título de Herói nacional, e seu nome está inscrito no Livro do Aço, no Panteão da Liberdade e da Democracia, na praça dos Três Poderes, em Brasília (DF). 
A comemoração do Dia da Consciência Negra é um momento importante de reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional. De acordo com Jurandyr, os descendentes dos povos negros africanos colaboraram muito com a história do país em diversos aspectos. “A abolição da escravatura, de forma oficial, só veio em 1888. Porém, os negros sempre resistiram e lutaram contra a opressão e as injustiças advindas da escravidão”, afirma o sacerdote. 
O papa João Paulo II, durante a visita a Santo Domingo em 1992, recordou que "A estima e o cultivo dos vossos valores Afro-americanos, enriquecerão infalivelmente a Igreja”. Por este motivo, a Pastoral Afro-Brasileira atua no processo de cidadania do povo negro. A CNBB, no documento 65, intitulado “Brasil: 500 Anos de diálogo e Esperança”, publicado em 2000, afirma que "acolher, com abertura de espírito as justas reivindicações de movimentos - indígenas, da consciência negra, das mulheres e outros - (...) e empenhar-se na defesa das diferenças culturais, com especial atenção às populações afro-brasileiras e indígenas" (CNBB, Doc. 65, nº 59).
Fonte: CNBB

Santo do Dia

                        Santo Edmundo

Santo Edmundo Reinava Offa nos Estados ingleses. Desejando terminar seus dias em Roma, no exercício da piedade e da penitência, passou a coroa para Edmundo, de quinze anos de idade, descendente dos antigos reis anglo-saxões da Grã-Bretanha.

Edmundo, segundo os seus historiadores, foi coroado no dia de Natal de 885. Suas qualidades morais tornaram-no modelo dos bons reis. Tinha grande aversão aos lisonjeiros; toda a sua ambição era manter a paz e assegurar a felicidade dos súditos. Daí o grande zêlo na administração da justiça e na implantação dos bons costumes nos seus Estados. Foi o pai dos súditos, sobretudo dos pobres, protetor das viúvas e dos órfãos, sustento e apoio dos fracos. O fervor no serviço de Deus realçava o brilho das suas outras virtudes. A exemplo dos monges e de várias outras pessoas piedosas, aprendeu o saltério de cor.

No décimo quinto ano do seu reinado, foi atacado pelos Dinamarqueses Hínguar e Hubla, príncipes desta nação, verdadeiros piratas, que foram desembarcar na Inglaterra. Edmundo, a princípio, manteve-se sereno, confiando num tratado que tinha feito com os bárbaros logo que vieram para o seu país. Mas quando viu que não respeitaram o tratado, reuniu o seu exército. Mas os infiéis receberam auxílios. Perante este reforço do inimigo, Edmundo sentia-se impotente para o combater.

Então os bárbaros fizeram-lhe várias propostas que recusou, por serem contrárias à religião e à justiça que devia aos súditos. Preferiu expor-se à morte a trair sua consciência. Carregaram-no de pesadas cadeias e levaram Edmundo à tenda do general inimigo. Fizeram-lhe novas propostas. Respondeu com firmeza que a religião lhe era mais cara do que a vida, e que nunca consentiria em ofender a Deus, que adorava. Hínguar, enfurecido com esta resposta, mandou açoitá-lo cruelmente.

O santo sofreu todos os maus tratos com paciência invencível, invocando o Sagrado Nome de Jesus. Por fim, foi condenado a ser decapitado, recebendo a palma do martírio a 20 de novembro de 870.

Os ingleses consideraram-no mártir e dedicaram-lhe numerosas igrejas.

Santo Edmundo, rogai por nós!


Fonte:Liturgia Diária

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Boa Noite

 
Cinco lições importantes que devemos aprender com o tempo...

Reflitam!!

O menino olhava a avó escrevendo uma carta. A certa altura, perguntou:
- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco? E por acaso, é uma história sobre mim?

A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:
-Estou escrevendo sobre você; é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele, quando crescesse.

O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
-Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida!
-Tudo depende do modo como você olha as coisas... Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo.

-"Primeira qualidade: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade".

-"Segunda qualidade: de vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor".

-"Terceira qualidade: o lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça”.

-"Quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você".
"Finalmente, a quinta qualidade do lápis: ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação".
(Paulo Coelho) 
 
Fonte:Velho Sábío

domingo, 18 de novembro de 2012

Por qual motivo temos dificuldade de pedir perdão?

Em muitas situações de desentendimento e desconfiança nos relacionamentos humanos, bem como nas separações, brigas no trabalho e nos ambientes sociais, é importante reconhecermos uma de nossas grandes falhas: a falta de um pedido de perdão. Não reconhecermos nossos erros é um grande obstáculo na qualidade do convívio.

Por qual motivo temos estas dificuldades? Um deles é admitir a “perda da nossa dignidade”, ter de passar por cima do nosso orgulho, sentirmo-nos ameaçados ao expormos nossos pontos fracos, ou que, ao pedirmos desculpas, o outro “nos 'passe na cara' ou use isto como uma vingança”, ou ainda que “seja lembrado pelos erros ou punido por ser honesto”. (Powell, J. 1985). Acho que, muitas vezes, você já viveu isto, não é mesmo?

Em várias situações, sentimo-nos inferiores ao pedir desculpas; temos a necessidade de passar parte de nossa vida provando que somos sempre certos, que somos sempre capazes, que somos fortes e invencíveis. De alguma forma, esta necessidade vai sendo imposta a nós e pode ser uma grande armadilha em nossas vidas.

Em outras situações, posso usar o seguinte pensamento: "se não recebi as desculpas do outro, por que eu vou me sujeitar a pedir desculpas?”. Isto nada mais é do que um grande processo de imaturidade, ao deixarmos que os comportamentos da outra pessoa possam determinar os nossos comportamentos e atitudes. É como achar certo roubar, porque alguém já roubou, não foi descoberto e nunca foi punido. 


Para que possamos chegar ao ponto de pedir desculpas, é válido encontrar um ponto de honestidade com nós mesmos, assumindo falhas e limitações. Esta honestidade interior faz com que vejamos, verdadeiramente, nossa responsabilidade nas situações, possamos reconhecer o que fizemos e entrar numa atitude de reconciliação com o outro. Talvez, nem sempre consigamos perdão, mas a atitude de reconhecer é totalmente sua e, certamente, muito libertadora.

Peça desculpas, mas livre-se dos que levam você a pensar: “você provocou isto”, “só reagi assim, porque você é culpado”, “estou tratando você como fui tratado por você”. Tais formas “racionais” de explicar um fato, apenas alimentam em nós mais raiva e mais ressentimento. Faz com que cubramos nossos erros e não permite que, honestamente, possamos admitir o que foi feito de errado.

“O perdão é instrumento de vida” (Cencini, A . 2005) e “força que pode mudar o ser humano”. Certamente, “a falha em pedir desculpas”  e em perdoar só servirão para prolongar a separação entre duas pessoas. Para isto, “a verdade precisa estar presente em todos os sinceros pedidos de desculpa” (Powell, J. 1985), compreendendo a extensão dos prejuízos que nossas atitudes, por vezes desordenadas e desmedidas, possam ter provocado na vida do outro.

Por vezes, precisamos quebrar nossas barreiras interiores e realizarmos um grande esforço ao dizer: “Eu estava errado, perdoe-me!”, pois este esforço fará sua vida muito melhor, mesmo que o outro não aceite, de imediato, seu pedido, mas sua vida já foi mudada a partir deste gesto.


Fonte: Canção Nova

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Santo do Dia



Santo Alberto Magno
Um ser pleno de virtudes, ciência, sabedoria e fé inabalável, grandioso em todos os sentidos. Frei dominicano, pregador eloqüente, magistral professor das ciências naturais e das doutrinas da fé, escritor, fundador, bispo e, finalmente, doutor da Igreja. Sim, essas qualificações pertencem a santo Alberto Magno, um dos mais importantes da Igreja e da humanidade. 

O grande filósofo e teólogo que dedicou sua vida na busca incansável do encontro da ciência com a fé, e que se destacou, principalmente, pela humildade e caridade. Escreveu mais de vinte e duas obras sobre teologia e ciências naturais - como a filosofia, a química, a física, e a botânica -, além de inúmeros tratados sobre as artes práticas - como tecelagem, navegação, agricultura, Foi, sobretudo, um profundo observador e amante da natureza. Por tudo isso, ainda em vida era chamado de "o Magno" por seus contemporâneos. 

Entretanto, ainda jovem, quase desistiu da vida religiosa, sentia dificuldades no entendimento do estudo da teologia. Mas segundo ele próprio, foi Nossa Senhora que o fez perseverar. Devotíssimo da Virgem Maria, durante as orações ela o teria aconselhado a não desistir, pois, se o fizesse, pouco a pouco os dons que tinha recebido lhe seriam tirados. Desde então, dizia: "Minha intenção última está na ciência de Deus". E sem dúvida, a forma rápida e fácil como aprendia tudo e a clareza com que pregava, explicava e ensinava, eram dons divinos. 

Nascido em 1206, na Alemanha, Alberto pertencia à influente e poderosa família Bolsadt, rica, nobre, cristã e de tradição militar. Piedoso desde a infância, Alberto recebeu uma educação muito aprimorada, digna dos nobres. Porém sempre deixou evidente a sua preferência pelos estudos das ciências naturais e pela religião às alegrias fúteis da Corte. 

Aos dezesseis anos, foi para a Universidade de Pádua, na Itália, onde, sob a tutela de Maria, completou os estudos superiores. Em 1229, tornou-se frade dominicano pregador. Lecionou nos principais pólos de cultura europeus de sua época, Itália, Alemanha e França. Em Paris, atraiu tantos estudantes e discípulos que teve de lecionar em praça pública. Que passou a ser chamada de praça Maubert, graças a santo Alberto Magno. O nome é uma derivação de Magnus Albert, e existe até hoje. Lá, entre seus discípulos, estava santo Tomás de Aquino, outro dominicano cuja importância não é menor. 

Em 1254, eleito superior provincial de sua ordem na Alemanha, abriu mão da cátedra de Paris para ficar na comunidade dominicana sob sua direção, quando demonstrou todo o seu espírito de monge pobre e humilde. Viajou por grande parte da Alemanha sempre a pé e pedindo esmolas no caminho para alimentar-se. Assim, ele fundou vários conventos, além de renovar os já existentes. 

Em 1260, foi nomeado bispo de Ratisbona, ocupando o cargo por dois anos, quando pediu exoneração. Não estava interessado no poder e sim no saber, voltou para a vida simples no convento que ele fundara e ao ensino na Universidade de Colônia. Já entrado nos setenta anos, foi incumbido pelo papa Urbano IV de liderar as cruzadas na Alemanha e na Boêmia. Em 1274, teve participação decisiva na união da Igreja grega com a latina, no segundo Concílio de Lyon. 

Três anos antes de sua morte, santo Alberto Magno começou a perder a memória. Mandou, então, construir sua própria sepultura, e rezava o ofício dos mortos todos os dias. Morreu, serenamente, no dia 15 de novembro de 1280. O papa Pio XI canonizou-o proclamou-o doutor da Igreja em 1931. Dez anos depois, o papa Pio XII declarou-o padroeiro dos estudiosos das ciências naturais.

Reservatórios do Seridó começam a ficar abaixo de 50% de capacidade total


Segundo dados coletados pela secretaria de Recursos Hídricos, entre os meses de outubro e novembro, os reservatórios do Seridó começaram a ficar abaixo de 50% de sua capacidade de armazenamento.
É o caso do açude Itans (41,11%), barragem Passagem das Traíras (37, 42%) e Boqueirão de Parelhas (44,61%). Mas há situações mais drásticas, como o Zangalheras de Jardim do Seridó (23,59%) e Dourado de Currais Novos (25,56%).
Confira as últimas medições realizadas pela SEMARH nos reservatórios do Seridó:
ReservatórioMunicípioCapacidadeVolume AtualV. Atual
(m³)(m³)(%)
Boqueirão Parelhas84.792.11937.829.01244,61%
ItansCaicó81.750.00033.605.50041,11%
SabugiS. João do Sabugi65.334.88019.427.37429,74%
Passagem das TraírasS. José do Seridó49.702.39411.900.74123,94%
Marechal DutraAcari44.421.48019.115.09543,03%
CruzetaCruzeta35.000.0009.277.50026,51%
CarnaúbaS. João do Sabugi25.710.9006.886.15026,78%
PataxóIpanguaçu24.500.00012.410.55850,66%
EsguichoOuro Branco21.709.3457.487.33634,49%
DouradoCurrais Novos10.321.6002.638.57225,56%
Caldeirão de ParelhasParelhas10.195.6002.125.92420,85%
ZangarelhasJardim do Seridó7.916.0001.867.18123,59%
AlecrimSantana do Matos7.000.0002.740.00039,14%
Fonte: Robson Pires